Cidade e segurança em pauta

Data: 10/11/2016
Fonte: Sabrina Ortácio

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB RS)  promoveu na noite da quarta-feira (09/11) na Faculdade de Arquitetura da UFRGS o debate “Cidade e Segurança” em comemoração ao Dia do Urbanismo.

O professor da Ulbra Torres Efreu Brignol Quintana apresentou sua linha de pesquisa da dissertação de mestrado sobre Sistemas Configuracionais Urbanos. Ele abordou a questão dos condomínios horizontais e seu impacto na estrutura do espaço urbano, além de apresentar estatísticas sobre segurança nestas regiões.

Eduardo Nascimento Cruz, especialista em Segurança Pública, coordenador de projetos em Unidades de Policia Pacificadora do Rio de Janeiro e Conselheiro da Delegação Brasileira na última Assembléia Geral das Nações Unidas falou sobre drogas e o impacto dos territórios abandonados pelo Estado na segurança pública. Cruz destacou as ações de redução da violência e da relação de drogas e criminalidade.
 

Marcelli Cipriani, bacharela em Direito pela PUCRS e integrante do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Segurança e Administração da Justiça Penal (GPESC - PUCRS), e do Grupo de Pesquisa em Gênero, Sexualidade e Feminismos (GP-GSFem - UNILASSALE) também participou do debate. Marcelli destacou a realidade dos espaços segregados e de seus habitantes, e também dos “guetos voluntários”, que segundo ela têm como objetivo principal impedir a entrada de intrusos, já que os de dentro podem, dele, sair à vontade.

A mediação do debate foi do arquiteto e urbanista, Rafael Passos, vice-presidente do IAB RS. A ideia do evento foi fazer uma reflexão também sobre Porto Alegre, que nos últimos tempos tem sido categorizada como uma das cidades mais inseguras do país. O público questionou: Será que o desenho da cidade e os regramentos para a edificação e o parcelamento do solo tem a ver com isto? Será que questões culturais e comportamentais da sociedade porto alegrense interferem nesta realidade?

Saiba mais sobre os palestrantes:

Efreu Quintana - Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pelo Centro Universitário Ritter dos Reis (2004) e mestrado em Programa de Pós-graduação em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é professor no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Luterana do Brasil campus Torres, onde coordena o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo. Tem experiência profissional na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em projeto de arquitetura e urbanismo e execução de obras de edificações. Atua principalmente nos seguintes temas: projeto de arquitetura e urbanismo, condomínios fechados, percepção e análise urbana, forma urbana e segurança, planejamento urbano e legislação urbanística, distribuição espacial do crime, arquitetura indígena. Atuou na Comissão de Urbanismo do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RS). É conselheiro no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-RS).

Eduardo Nascimento Cruz - Palestrante e consultor em prevenção de riscos e segurança, com larga atuação em projetos de redução da violência e pesquisas sobre a relação de drogas e criminalidade. Especialista em Segurança Pública, com 21 anos de experiência em projetos de segurança corporativa e gestão de riscos, atendendo bancos, indústrias e governo em todo o Brasil e Mercosul. Atuou em projetos nas Unidades de Polícia Pacificadora do Rio de Janeiro, coordenando programas de inclusão social e pesquisas. Presidente do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas do RS, Coordenador da Regional Sul e São Paulo do Fórum Brasileiro de Políticas sobre Drogas. Participou, como Conselheiro da Delegação Brasileira, da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre drogas, ocorrida em abril deste ano, em Nova Iorque.

Marcelli Cipriani - Bacharela em Direito (2016) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Integrante do Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Segurança e Administração da Justiça Penal (GPESC - PUCRS), e do Grupo de Pesquisa em Gênero, Sexualidade e Feminismos (GP-GSFem - UNILASSALE).