A organização dos Arquitetos e Urbanistas após o CAU


A arquitetura brasileira passa por um momento singular desde a aprovação, no final de 2010, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil – o CAU. A criação do novo Conselho representa um grande passo para o futuro da arquitetura no Brasil e, assim como aconteceu nas décadas anteriores nos demais países do cone sul, será um marco histórico e um ponto de inflexão na qualificação da profissão e no reconhecimento da arquitetura pela sociedade.

“O avanço da arquitetura (...) está intimamente ligado à vitória da
campanha nacional que ora se desenvolve em prol da nova legislação
do exercício da profissão do arquiteto.” (Demétrio Ribeiro, 1959)

 
As grandes dificuldades enfrentadas, nestes primeiros anos, para a implantação do novo Conselho são naturais e estão sendo superadas com muito trabalho e dedicação dos conselheiros eleitos e da estrutura em construção. Nossa saída do Sistema Confea/CREA é um caminho sem volta e precisamos enfrentar o desconforto da transição com sabedoria e com a compreensão que esta é uma construção coletiva que necessita da contribuição de todos os profissionais e entidades.


Reorganização Nacional
As entidades nacionais – IAB, FNA, ASBEA, desde a criação do CAU, estão se reorganizando e recuperando sua atuação e algumas bandeiras históricas. Neste momento, as entidades de arquitetos estão mais fortes e organizadas para realmente representar o sentimento dos arquitetos e oferecer apoio à implantação do CAU, para que este realmente se transforme no Conselho que precisamos e desejamos.

Nos estados as entidades nacionais também estão mais fortes e organizadas. O IAB recuperou Departamentos que estavam inativos em alguns estados e conta hoje com uma rede fortalecida por mais de 22 departamentos com atuação vigorosa e integrada. O IAB RS é um exemplo deste sucesso, tendo reforçado sua atuação na defesa da profissão e na promoção da arquitetura e do arquiteto e urbanista, ampliado seus projetos culturais e de formação profissional, e vem ampliando relações institucionais e ganhando espaços de mídia importantes dedicados aos temas de interesse da profissão.


Recuperar a representação e a força dos Arquitetos do RS
Entretanto, o quadro no interior do estado ainda é muito preocupante. As entidades mistas locais, tradicionais e muito atuantes no RS, estão sendo obrigadas a se reestruturarem tendo em vista as restrições à participação dos arquitetos impostas pelo CREA RS. Sabidamente, os arquitetos sempre foram os mais atuantes e participativos nestas associações mas, com a impossibilidade de seguir na liderança destas, a representação e influência local dos arquitetos foi muito abalada.

O IAB RS, com o objetivo de apresentar uma alternativa efetiva para garantir a reorganização dos arquitetos e a manutenção e qualificação de suas representações locais, está intensificando sua atuação no interior do estado e oferecendo sua estrutura para a organização de novos Núcleos locais do Instituto.


O QUE É E COMO FUNCIONA UM NÚCLEO DO IAB RS